Vencendo o Herói em Mim


Se super heróis de verdade vivem guerras infinitas, hoje quero compartilhar com você uma guerra saudável que comecei a alguns anos e que até então só me traz benefícios. Uma guerra que foi inciada partindo de algo que aprendemos na escola:

O ser vivo nasce, cresce, se reproduz e morre.

Enquanto isso, o Homem parece fazer questão de viver uma realidade um tanto quanto desnecessariamente complicada:

O Homem parece fazer questão de nascer, sonhar, crescer, reclamar, deixar de sonhar, se reproduzir e morrer.

© Yaruta

Resolvi assim, que enquanto eu viver, eu exterminaria o quanto fosse possível as dificuldades incineradoras de sonho, e convido você a agir comigo:

Vamos reclamar menos e transformar mais dos nossos sonhos em metas, e metas em realidade.

Adoro ler, de fato, nem televisão eu tenho, então fica mais fácil cultivar o hábito. Não sei se você já ouviu falar de um escritor chamado Mark Twain, ele escreveu Aventuras de Tom Sawier. Um dia, enquanto descarregava a barra que usara para arremessos olímpicos, disse:

- O mundo não lhe deve nada, ele estava aqui primeiro.

Tornar nossas metas realidade depende apenas de nós: perder peso, juntar o primeiro milhão, construir uma família estável, dar a volta ao mundo. Independente da meta, é necessário que você tome uma atitude e entenda que reclamar não mudará seu resultado atual.

É difícil, eu sei! Tem horas que me desanimo também!

Talvez seja por isso que a indústria cinematográfica, os produtores de novelas, séries e seriados, escritores de ficção e rappers americanos ganham cada vez mais.

Pois a medida que nos acomodamos, começamos a buscar heróis que acolham nossas dores e receios, mundos fictícios que nos leve embora, ainda que temporariamente de nosso cotidiano e situação atual.

Sejamos heróis de verdade! 

Daqueles que não precisam de uma capa ou uma roupa de compressão bonita (se bem que nada lhe impede de ter também a roupa de compressão coladinha), e sim tomar responsabilidade total sobre nossos atos.

Lamentar, alimentar receios, aumentar preocupações e inibir soluções funcionam apenas como criptonita de nossa própria história.

Convido você a relembrar suas últimas 24 horas e lhe pergunto:

-E daí? Dariam um bom filme? Você compraria sua biografia ou saga?

Lhe convido não só a aceitar que existe sim um herói dentro de cada um de nós, mas que desafiá-lo é o melhor que podemos fazer para o futuro de nossas histórias  (veja Harry Potter, virou uma sequência de sete livros).

Para terminar, como meu Tio Ben diria:

- Grandes poderes trazem grandes responsabilidades.

Agora é a sua vez!

Força. E Nada de Ficar à Espera do Homem-Aranha.