Uma Menina Chamada Gravidade

Ela lhe puxa pela barra da calça, pedindo-lhe para olhar para baixo, para observá-la enquanto ela brinca. Infelizmente, nos tornamos adultos, voltamos nossos rostos para outras prioridades e enquanto isso, ela continuou nos puxando, quando tudo o que ela realmente está pedindo é um pouco mais de atenção.

O mesmo tipo de tempo que vocês gastaram quando você deu os seus primeiros passos, quando você ganhou suas primeiro cicatrizes e caiu do alto de uma pedra ou do cobertura que você não deveria ter subido, e que ainda lhe faz lembrar de algum adulto por perto dizendo: - Eu disse que iria cair, eu disse que iria se machucar.

Palavras que agora fazem parte de seu próprio discurso, o mesmo tom de voz que você usa ou usará com seus filhos, a não ser que, bem, a não ser que você olhe para baixo e dê um pouco mais de importância para essa menina que segue sem envelhecer, a Gravidade.

Então, como fazemos isso? Você se move, você caminha ao invés de dirigir, você pula, você vai em vez de esperar, você corre tão rápido quanto o Forrest Gump, você sobe, você voa, você senta no chão e se levanta assim como quando era criança. Você se reconecta com a Gravidade, e então você toma mais um passo adiante, você não a convida ao parque, você a leva para o ringue, para a academia, para o rack. Você levanta pesos e se exercita, às vezes você os puxa, algumas vezes você os empurra, às vezes a Gravidade vence e você cai, algumas vezes você é que vence e conquista novos recordes.

E enquanto assim segue, uma coisa é verdade, ela ainda nos levará ao cansaço, introduzindo-nos todos os dias as consequências do Envelhecimento: as rugas aparecem, a pele ganha manchas, cicatrizes e se torna áspera. Testículos murcham e caem na direção dos joelhos, seios se tornam sacos de geléia que balançam ao nível do umbigo, fãs da Kim Kadarshian e Nicky Minaj descobrem ter nádegas suficientes para acomodar suas famílias inteiras bem acomodadas. Juntas e articulações que falham, órgãos dando "tilt", e nossas orelhas que se estendem tornando-se tão grandes quanto as do Dumbo.

Mas e daí? O envelhecer não é uma doença, é um processo, por isso cabe a você decidir se irá deixar a gravidade lhe entregar tudo de uma vez só, ou em pedaços muito pequenos, ano após ano. Você só precisa mostrar a ela que você ainda se importa e que você está ciente de sua existência, e seja como for, você se mantém forte.