Meus Trinta Dias Veganos

Domingo, o sol aquece as ruas de Jacarta, enquanto na academia a temperatura é de um congelador. Ainda assim, meu corpo está derretendo como se eu estivesse em uma sala de Bikram Yoga regulada para simular a atmosfera de Júpiter, enquanto um instrutor sem coração nos mata com posições avançadas.

Acabo de pressionar stop no meu G-Shock, confirmando que renovei meu recorde para Diane, um circuito composto por levantamentos-terra e flexões de cabeça para baixo. Eu me sinto ótimo, energizado, revigorado, soma de sentimentos que seria fantástica para vender qualquer conceito de fitness.

Interessante é que faz um mês desde que comi qualquer fonte de alimento derivado de animais pela última vez. Caso não tenha lido sobre isso (publicação anterior), as três perguntas que me fiz antes de tentar o Vegetarianismo, e depois o Veganismo foram: É bom para os Animais? É bom para o Meio Ambiente? É bom para a minha Saúde? Então aqui está o que aprendi e gostaria de recomendar aos meus amigos e entusiastas do Fitness.

O Que Aprendi Sobre Veganismo Ser Bom Para O Meio Ambiente & Animais:

Entre muitas razões, ao seguir uma dieta vegana, paramos de contribuir para o abate, tortura e abuso de animais, enquanto diminuimos a poluição, desperdício de recursos naturais e reduzimos o avanço do aquecimento global.

Por outro lado, ainda que clara a mudança que fazemos em prol dos animais ao não comer carne (principalmente se você come quase uma vaca inteira a cada ano), a idéia de ajudar o Meio Ambiente apresenta controvérsias.

Ao tornar-se mais popular, o veganismo também se apresenta como um negócio rentável para a Indústria. Cereais, grãos e legumes estimulam o crescimento de monoculturas de nível industrial; veganos ainda que não utilizem nada de origem animal, podem consumir carne falsa, substitutos de leite, peixe de mentira, manteiga sintética, diversos suplementos industrializados e roupas amigas dos bichos, mas não necessariamente amigas do Meio Ambiente ​​(borracha e plástico ao invés de couro). Desculpe, mas borracha e embalagens não nascem em árvores.

O Veganismo pode sim ser uma boa alternativa para um mundo mais sustentável e ético, mas de fato, segue destruindo e mudando o Meio Ambiente de maneiras diferentes. Sendo assim, dizer que esta é uma boa escolha para o Meio Ambiente só é verdade se você não está comprando itens derivados de Agricultura Industrial, alimentos e produtos processados ​​e industrializados, bem como estar ciente dos efeitos dos produtos e cosméticos que você escolhe.

O Que Aprendi Sobre Veganismo Ser Bom Para Minha Saúde:

O Veganismo é possível e pode ser uma escolha saudável para a maioria das pessoas. No entanto, para atletas, fisiculturista e praticantes de atividades intensas como eu, com o objetivo de consumir dois gramas de proteína por quilo de peso corporal, sem incluir suplementos de proteína, pode ser um desafio desconfortável para o corpo e mente.

No meu caso, foi uma experiência saudável em partes. Eu consegui ingerir todos os nutrientes diários que precisava e de fato quebrei alguns recordes pessoais em meus treinos graças ao alto consumo de carboidratos e nutrientes. Ainda assim, como suplementar não era uma opção para o mês de experimento (devido a baixo orçamento, falta de marcas locais e preços absurdos para entregas em Jacarta), eu estava em uma luta constante para obter proteína suficiente, comendo grandes quantidades de lentilha e soja para alcançar meus objetivos diários e terminando o dia inchado, sentindo-me constipado por comer muito mais fibras do que necessário, peidando e arrotando (sério, feio escrever, mas era a melhor descrição) constantemente e dormindo mal, acordando várias vezes por noite.

Além disso, nossa saúde não se refere apenas a nossa condição física, mas também ao nosso nível de equilíbrio mental. Ao restringir alguns alimentos e comer mais de outros, eu me coloquei fora de balanço, passando por episódios frequentes de super-consumo de alimentos saudáveis, como comer uma dúzia de bananas, xícaras de aveia, duas ou três goiabas, dois abacates, punhados de amêndoas, tudo de uma só vez, às vezes coberto com um quilo de manteiga de amendoim.

E Finalmente A Conlusão Para Levarmos Para Casa:

Ninguém é obrigado a parar de comer animais, mas todos nós devemos seguir uma dieta consciente e mais variada, dando mais atenção para as razões por trás do Veganismo. Há muita coisa acontecendo e comida é apenas a ponta do iceberg. Leia livros, se informe, assista a documentários, converse com veganos e vegetarianos, mate um animal para ver como se sente, conheça a carne que come.

Independente de qual caminho escolha, uma dieta baseada em vegetais parece ser a base para o sucesso. Experiêncie hoje os vários benefícios de comer mais das opções de proteína vegetal, incluindo tempeh, lentilhas, feijão, arroz, aveia e grão de bico. Receitas veganas podem ser muito saborosas.

Veganos, vegetarianos, onívoros (aquele que come de tudo) ou não, todos nós devemos evitar o super-consumo de alimentos. Podemos fazer uma enorme diferença para os animais, Meio Ambiente e nossa saúde, voltando a base de alimentar-se para nutrir-se, e não por uma busca incessante de conforto e prazer.

Apoie fazendas locais e pequenas empresas, escolha e crie o hábito de comprar orgânico sempre que possível. Se você optar por um estilo de vida onívoro, prefira galinhas e ovos caipiras aos invés dos de granja, carne proveniente de gado criado soltos alimentado a base de capim, leite não-pasteurizado orgânico fresco. Todos nós devemos adotar um comportamento mais ético em relação aos alimentos, animais, pessoas e meio ambiente.

"Eu não sou Vegano, nem Carnívoro, não sou Paleo, nem Vegetariano, não sou a Dieta Crua, nem sou a Dieta da Fruta, sou Baseado em Ciências, mas não sou nem Pesquisa, nem Aprovado pela ANVISA, de fato eu sou Eu e Vamos em Frente."