Pular para o conteúdo principal

Uma Visão Sobre Escolhas Alimentares & Atividade Física em Tempos de Fim do Mundo

Preferi esperar a poeira baixar, dar tempo de nos adaptarmos a nova realidade em relação a pandemia com a qual ainda estamos lidando, antes de trazer alguns pontos que podem servir de verdadeiras pérolas para todos nós, tanto onívoros (aqueles que comem de tudo), quanto vegetarianos (aqueles que restringem parcialmente ou completamente o consumo de produtos de origem animal). De fato, não imaginei que passaríamos por isso;  já demos adeus a mais de um milhão de vidas (e subindo...) ( WORLDOMETERS, 2020 ) por conta de um vírus que tende a ser ainda mais perigoso quando infecta portadores de doenças crônicas como diabetes e hipertensão, asma, assim como obesos e indivíduos acima de 60 anos ( CENTRO DE CONTROLE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS, 2020 ). Nos escondemos atrás de máscaras e litros de álcool em gel, mas sem nós dar conta de que através do desenvolvimento de Fitness (Hábitos Saudáveis, Educação Física e Nutrição), poderíamos prevenir não só as chances de termos graves complicações ao li

Fitness & Individualities (Actually Yours, Not Fitness's)


Many are the principles of strength training that we must consider when working out regarding to improving our performance and abilities to perform a different array of tasks. The principle of individuality is one of them.

Through this principle we might understand better the development of diverse physical abilities among athletes, even if they are performing the same activity, for the same number of breaths, same scheme of rest and recovery.

You increase a specific stimuli and two different people will respond in totally different manners. When you think about this principle, you can’t just think about adaptation, you must also consider that we’re talking about different bodies, genetics, body composition, measurements and mainly different metabolisms.


Age, sex, body composition, type of muscle fibers are just some of the variants which can affect our answer to training and our ability or not to complete a specific task.

Our environment also plays a crucial role in the response to any specific kind of training. We should not compare an athlete who invests the average of two hours a day on weightlifting, mobility and yoga with another athlete, who before getting to the gym works in an office, feeding sedentary habits eight hours a day, answering emails and stressful phone calls, and still has to find time for family, kids and house chores.

We shouldn’t do it even if we are talking about twins.

Simply by changing the daily routine of different people, you get to have a totally different response even if they share the same age, height, weight, body composition in general. We are talking about two different measurements.

And why do I give so much importance to the principle of biological individuality? Well, because I value my time as well as my clients and readers time.

I want my physical training to reflect my individualities, my needs and my objectives. If I ignore this principle, I might put myself in a demeaning pathway, subject to feeling demotivated, getting to the point of abandoning a habit that should actually be working on making me feel good and better.

And how do I do I know if I’m in the right pathway?

First I can hire a personal trainer to help me thought physical assessments from which we can check my flexibility, strength, coordination, agility, power, cardiorespiratory resistance, etc.

If any of those markers  are under what I would like them to be, I can work on my flaws and also get better on my strengths.


There are also a few questions that you should answer:

Why am I training?
What do I want to achieve?
Where did I get this objective room?
Is this goal realistic?

We should not be defining ourselves by a fully loaded barbell, being fast or slow in the WOD, a slum dunk, or running 1 km under three minutes.

As a trainer I consider a physical activity functional when it respects your own individualities; not when you have to kill yourself trying reach the common ground results of the physical activity you’ve chosen.

Strengthen your qualities and learn how to deal with what you consider weaknesses.

Keep Strong. But True to Yourself. Embrace Your Individualities.

Postagens mais visitadas deste blog

Passei 1 Mês Comendo 1 Refeição Ao Dia

Janeiro de 2017, acabara de me mudar para uma nova casa. Segui curtindo meu novo emprego (trabalho também como modelo em uma empresa de ecommerce ) e super motivado a tentar algo novo, muito diferente do que simplesmente cortar alimentos refinados como vimos no artigo anterior . A ideia era contrariar uma das estratégias mais eficazes e básicas que você vai ouvir ao visitar um nutricionista: Coma de três em três horas. Os motivos para se comer assim são realmente eficazes e incluem: 1) Níveis de energia mais controlados devido à distribuição de açúcar constante e nutrição adequada durante todos os momentos do dia. 2) Menos fome repentina e desejo de comer besteiras monstruosamente; também devido ao açúcar controlado. 3) Maior chance de aproveitamento de tudo o que ingerimos e consequentemente melhor digestão. 4) Diminuição de catabolismo muscular (dano e possível perda de massa magra). 5) Você come menos, de maneira mais controlada e acelera seu metabolis

Meu Primeiro Ciclo Anabolizante

O que você precisa saber antes de ler esse artigo: 1) Não vai ter "para, para, para" do João Cléber. 2) A venda de anabolizantes e suplementos alimentares estrangeiros sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e sem informações de rotulagem em português é crime contra a saúde pública. 3) Por outro lado, a venda e prescrição de determinadas substâncias anabolizantes no Brasil não é ilegal desde que prescrita pelo devido médico. Segue o artigo: Art. 1o A dispensação ou a venda de medicamentos do grupo terapêutico dos esteroides ou peptídeos anabolizantes para uso humano estarão restritas à apresentação e retenção, pela farmácia ou drogaria, da cópia carbonada de receita emitida por médico ou dentista devidamente registrados nos respectivos conselhos profissionais.   ( PLANALTO, 2000 ) Com uma observação: Mesmo respeitando a lei, ou com a prescrição de um médico, tomar anabolizantes, seja para reposição ou para correção do nív

Apagar e Acender a Luz Não Queima a Lâmpada

- Nilo, dá para tirar o dedo do interruptor? Isso aqui não é boate não menino, vai acabar queimando essa luz. Faz tempo, mas daquelas verdade indiscutíveis de meus dias hiperativos, essa é uma daquelas que hoje posso rebater com toda certeza: Apagar e acender a luz não queima lâmpada alguma! Pelo menos não a do corpo humano. Pelo contrário, lhe ajuda a queimar gordura, acelera o metabolismo e faz o custo benefício de cada minuto de exercício subir ainda mais. Mas que lâmpada é essa a que me refiro? Apenas uma maneira figurada de entender nossa capacidade de gerar potência. Assim como uma lâmpada que consome mais energia de acordo com a intensidade de sua luz, o corpo humano também consome mais energia de acordo com a intensidade da atividade física que exercemos. E fato é que entre manter nossa lâmpada acesa com a luz bem suave por várias horas e deixá-la queimar com o máximo de incandescência possível ainda que por curtos períodos de tempo por repetidas vezes, é a segunda o