Fitness & Suas Individualidades (As Suas, Não do Fitness)


Muitos são os princípios do treinamento de força que devem ser levados em conta quando pensamos em aumento de performance e desenvolvimento de nossas habilidades físicas. O princípio da individualidade biológica é um deles.

Através desse princípio, fica mais fácil compreender a diferença entre o desenvolvimento em aptidão física (Fitness) de diversos atletas, ainda que os mesmos estejam fazendo o mesmo tipo de treino, com o mesmo nível de repetições e mesma quantidade de descanso.

Você apresenta um estímulo específico e duas pessoas diferentes respondem de maneiras totalmente diferentes, e quando você pensa nesse princípio, você não pode pensar apenas em adaptação, mas precisa levar em conta também que são corpos distintos: em genética, composição corporal, medidas, assim como de metabolismos diferenciados.


Idade, sexo, altura, peso e tipos de fibra muscular são apenas algumas variantes que podem afetar o resposta ao estímulo, e a capacidade ou não de completar determinada tarefa.

O ambiente também vai ter um papel crucial nessa resposta ao treinamento. Você não deveria comparar uma pessoa que investe em média duas horas do dia em atividade física, com uma pessoa que trabalha em um escritório, exercendo uma função que estimula um comportamento sedentário,  oito horas por dia, respondendo e-mails, atendendo telefonemas, e ainda por cima precisa dar conta da família, filhos, três divórcios e um IPVA vencido.

Não deveria, mesmo que fossem gêmeos idênticos.

A simples alteração de compromissos do dia a dia pode alterar totalmente a resposta a um mesmo estímulo, ainda que o seu companheiro de treino tenha a mesma idade, a mesma altura, peso, composição corporal que você tenha no momento. São dois pesos, duas medidas.

E por que dar tanta importância para esse tal de princípio da individualidade biológica? Porque eu dou valor o meu tempo, assim como de meus clientes e leitores.

Eu quero que o treino proposto para mim, assim como os programas que eu proponho para as pessoas a minha volta tenham um efeito positivo. Quero que elas se sintam melhor, expressem felicidade e sigam motivadas a continuar em frente.

O meu treino precisa refletir minhas individualidades, minhas necessidades e objetivos. Se eu ignoro esse princípio me coloco em uma linha que me sujeita a falha, ao desânimo, ou possível abandono de algo que poderia me fazer muito bem.

E como eu faço para ter certeza de que estou no caminho certo respeitando o princípio da individualidade?

Primeiro eu posso fazer um teste de habilidades físicas que coloque em prática a minha flexibilidade a minha força, minha capacidade de coordenação, agilidade, resistência cardiorrespiratória. Se algum deles ficar abaixo do que deveria estar (ou abaixo do que eu gostaria que estivesse) eu posso me comprometer a buscar aprimoramentos nesses resultados.


As questões que você deve responder:

Porque que eu estou treinando?

O quê eu quero alcançar?

De onde eu tirei esse objetivo?

Esse objetivo é realista?

Não vai ser uma barra com mais anilhas, aquela enterrada em uma cesta de basquete, ou correr 1 km em três minutos que deve definir quem você é.

Considero a atividade física funcional quando ela respeita as suas individualidades, e não quando você se desdobra para tentar alcançar as individualidades da atividade física que você escolhe.

Fortaleça seus talentos e aprenda a lidar com qualquer característica que você considera uma desvantagem.

Força. E Abrace a Individualidade.