Exercícios Complexos x Movimentos Isolados


Nenhum programa de treinamento que se preze vai deixar de trabalhar em algum momento seu corpo como um todo. Ainda assim, provavelmente, você já ouviu falar de dia de perna, dia de braço e assim por diante.

Fotografia por Autor Desconhecido 
Nos estúdios voltados para condicionamento físico e treinamento funcional isso não é algo tão comum, uma vez que todos os dias vamos trabalhar movimentos que chamamos de movimentos funcionais, movimentos complexos que trabalham o corpo como um todo.

Quando você trabalha um agachamento com barra livre por exemplo, você não trabalha apenas suas pernas, assim como toda musculatura do seu core e provavelmente alguns músculos dos seus membros superiores também, principalmente se trabalhar com variações de agachamento, como o front squat.

Fotografia por Benji Mellish
Por outro lado, mesmo se pensarmos em eficácia, eficiência e segurança, apesar de todos os exercícios realizados poderem ser considerados funcionais. não podemos deixar a funcionalidade de lado de exercícios que trabalham os músculos de forma isolada, por exemplo a rosca bíceps.

A rosca bíceps pode ser funcional não apenas para o desenvolvimento do seu bíceps “ficar grandão”, assim como para o desenvolvimento total do seus membros superiores (o peitoral por exemplo ganhará mais evidência).

Se você está mais interessado em perder alguns quilos de gordura, melhorar o seu condicionamento físico, ficar com um corpo mais simétrico, o treinamento com exercícios complexos, ou seja, que trabalham seu corpo como um todo, parece ser a melhor alternativa.

Fotografia por Sabel Blanco
Já se seu fim é puramente estético, está fissurado em braços maiores ou glúteos mais firmes, ou você acabou de iniciar na prática de atividades físicas, o treinamento isolado pode ser uma opção mais sensata.

Como treinador físico, sugeriria que todos fizessem um pouco dos dois.

Força. Dedicação. E Na Dúvida, Treine.