Frutas Fazem Bem?


Uma dieta equilibrada há de conter frutas, legumes, vegetais, carnes, laticínios, arroz, feijão e dogmas! Muitos dogmas!  Realidades que se criam e se modificam com o passar de nossos dias, mas sempre muito consistentes em moldar nossos conceitos em relação a tudo, inclusive Fitness: sua capacidade de atuar perante qualquer situação ou ambiente proposto, seja ele qual for, abrangendo Nutrição, Atividades Físicas & Saúde em Geral.

Aprendemos e adquirimos conhecimento a respeito desse temas, muitas vezes mais através de fontes informais: publicações de blogs, televisão, revistas, personalidades, amigos de academia, amigo da tia que mora perto da amiga da sua mãe, do que através de fontes formais, como artigos científicos, livros, cursos, seminários com especialistas do assunto e profissionais da saúde, educação física e nutrição.

Foi pensando nisso que surgiu o Nilogia Fitness, um blog que visa guiar pessoas que assim como eu, sofreram por muitos anos com essa falta de base em relação a hábitos saudáveis, base essa, que como educador físico, acredito ser um direito de todos. Saber o que comer, o que beber, que tipo de exercícios fazer é uma necessidade básica e não um luxo que deveria estar ao alcance apenas daqueles que podem pagar trezentos, quatrocentos reais e até valores mais altos por academias, aulas particulares, cursos e nutricionistas.

O Nilogia já apresentou em publicações recentes, possíveis maneiras por quais acabamos por julgar se determinada comida é boa ou ruim para nosso desenvolvimento, mas hoje gostaria de abordar uma recomendação pouco questionada quando falamos em nutrição por resultados. O Consumo de Frutas Realmente Faz Bem?


Frutas são nutritivas, possuem vitaminas e minerais necessários para o funcionamento do corpo, porém se analisarmos o valor nutricional de uma fruta em relação a uma porção de legumes ou vegetais, poderemos perceber que com uma porção correspondente em número de calorias, os legumes e vegetais apresentam muitas vezes mais nutrientes, menos calorias por grama e menor quantidade de açúcares.

10% do peso total de uma porção de frutas é açúcar. Sendo assim, se você consome 3 bananas, duas maçãs por dia, estaria consumindo aproximadamente o mesmo valor energético que consumiria bebendo uma lata de refrigerante ou comendo seu sorvete favorito.

"Nilo, mas se eu fizesse isso, estaria abrindo mão das fibras e nutrientes das frutas!" Talvez tenha razão, afinal de contas, as evidências são muitas apontando que frutas por serem ricas em nutrientes, fibras e antioxidantes, fazem bem para a pele, protegem dos riscos de doenças do coração, melhoram o desenvolvimento, aumentam nossa energia, ajudam na saúde da flora intestinal, dentre outros benefícios. 

Ainda assim, o que percebi por experiência própria, assim como através de relatos de clientes, familiares, amigos e atletas próximos, é que ao comermos mais frutas, tendemos a diminuir consideravelmente o consumo de outras plantas e vegetais, ficamos também mais sonolentos por conta do açúcar por vezes desnecessário, sempre pedindo por um docinho a mais para trazer de volta aquela sensação de açúcar elevado no sangue, e o repeteco dificilmente é outra porção de frutas. Tire suas próprias conclusões respondendo: O que é mais agradável ao seu paladar? Morangos e uvas docinhas ou uma porção de brócolis cru e verdinho sem tempero?

Com exceção de tartarugas ninjas de plantão, muitos acabam por optar pela opção das frutas e com isso tendem a comer uma porção maior do que deveríam, continuam a comer sobremesas quando desejam (seja que a fruta não é uma opção de sobremesa e sim um substituto para o prato de legumes), continuam dependentes do gosto doce e intenso de alimentos processados com aditivos e conservantes, e o pior: vivem em um constante montanha russa onde o açúcar do sangue sobe e desce, podendo aumentar os riscos de desenvolvimento de doenças crônicas como o Diabetes tipo 2.

Antes da agricultura, na época de nossos ancestrais, as evidências apontam que as frutas eram sasonais, seja que, você não conseguiria comer uma salada com 4-5 frutas distintas como hoje em dia. Elas eram mais azedas e só eram doces se comparadas as hortaliças e carnes. 

Atualmente, através da colheita seletiva e aprimoração dos métodos de plantio com o uso de fertilizantes, sementes transgênicas (mutantes!) e agrotóxicos, elas chegam ao mercados com tamanhos montruosos, são superdoces e abundantes, não importando se você mora na Groenlândia ou no Brasil, ou se estamos em Julho ou Janeiro.

Minha conclusão é que as frutas atuais deveríam ser mantidas no patamar de alimentos a serem consumidos apenas de vez em quando, e que deveríam ser consideradas nutritivas apenas se comparadas a uma barra de chocolate ou uma porção de biscoito "integral".

O consumo desnecessário de açúcares (carboidratos) através das mesmas, acaba por estimular o ganho de peso. Todo o açúcar que consumimos em excesso acaba convertido em novas reservas de energia, digo: GORDURA, BANHA, OSSOS LARGOS, DESCULPA PARA ESTAR SEMPRE ACIMA DO PESO, OBESIDADE, BARRIGA, etc.

E se quiser realmente um plano personalizado, que atenda suas necessidades de maneira mais eficiente, é claro que buscar o auxílio de um nutricionista é o melhor investimento a se fazer. Pagar um valor aparentemente alto por uma consulta com um especialista não é nada se vier a sanar os anos e mais anos que muitos de nós jogamos fora, buscando resultados que nunca chegam. 

Força. Como Primeiro Seus Vegetais & Daí me Fale Sobre Frutas. 

Referências: